Nosso jeito torto de ficar

Perdi as contas de quantas vezes senti meu corpo todo arrepiar com uma lembrança aleatória de nós dois. É dessa nossa aleatoriedade quente e eufórica que mais sinto falta. É quase como se eu precisasse disso para viver. Foram poucos meses, como pude me acostumar tanto a isso? A ele…

Saudade da nossa dança sem música e da nossa música totalmente fora do tom em versos inteiros de risadas. A pausa na nossa série preferida para tentar entender que diabos está acontecendo. O beijo fora de hora que fazia tudo girar… Sinto falta dos nossos detalhes e do nosso jeito torto de ficar junto.

Nunca pensei que conheceria alguém que pudesse literalmente completar meus pensamentos. Me encantei pela personalidade dele apesar de ser tudo o que eu sempre evitei. É incrível como somos tão diferentes e tão parecidos ao mesmo tempo. Quando a gente discorda chega a faiscar. Por outro lado é cada assunto que a gente engata e perde a tarde toda falando e falando porque a sintonia é enorme.

A história dele até aqui, o que ele vive hoje e o que ele desenhou para o futuro. Tudo me faz querer ficar para ver de perto. Eu abandono todas as minhas defesas, não quero ir embora. Sinto que o universo não colocou essas duas peças juntas atoa. Não vejo sentido em camuflar essa verdade.

Vou distribuir todas as minhas cartas na mesa. Apesar de saber que um dia após o outro é o melhor remédio para esquecer, não estou disposta a viver mais nenhum dia sem aquela risada rouca e aquele abraço que diz “eu não vou a lugar nenhum”. Eu quero tudo o que ele é. Não quero que seja exclusivo. Só quero que seja real como sempre foi, como eu sei que ele é.

Primeira noite na nova casa

Minha cabeça não para. São muitos pensamentos ao mesmo tempo. Estou deitada na nova cama, na nova casa e no novo bairro. O sentimento desse momento não é o que eu esperava. Eu sabia que ia sentir um pouco de medo, mas não sabia que ia ficar tão agitada assim. Eu achei que seria mais ação. Mais euforia e menos estagnação.

Não vou conseguir dormir tão cedo pois o processo de mudança foi cansativo, então eu dormi a tarde toda. Está frio e aqui é confortável, mas meus pensamentos mudam de um a outro em menos de um segundo e isso está me deixando nervosa.

Estou ansiosa para saber como é acordar aqui. Fazer café, tomar banho, ler e sair pro trabalho… Estou ansiosa para ver como a minha produtividade vai aumentar. Não tenho mais desculpas para procrastinar. Aqui tenho meu espaço e tranquilidade para trabalhar.

Antes de pegar o laptop para escrever, eu estava deitava olhando pro teto com a minha mente a mil por hora. E assim que pensei em escrever, pensei também porque não peguei o laptop logo, antes de quase surtar com tantos pensamentos.

Eu sei que essa foi uma decisão e tanto. Uma mudança brusca na minha rotina e na minha vida. Agora sou eu e eu por mim. É a minha chance de fazer dar certo. De realizar tudo o que eu venho planejando e planejando; um loop de planejamento sem fim.

Vai dar tudo certo.

Você é uma droga

Sei que não rolou esse lance de “à primeira vista”. No entanto, também não sei o momento em que meus olhos encontraram, com curiosidade, o seu olhar decidido. Uma, duas, três, quatro troca de olhares foi o suficiente para fazer acontecer altas turbulências aqui dentro. Tinha tanta gente e ao mesmo tempo era só você e eu. Eu só tinha olhos para você. Algumas pessoas perceberam.

Na fila do banheiro, minha visão periférica avisou que você finalmente percebeu que era o momento ideal. E se aproximou… Devagar para não assustar, mas rápido o suficiente para esbarrar um pouco forte demais. “Opa, desculpa”.

Queria poder relatar aqui os detalhes daquele diálogo torto e tímido, mas o álcool levou parte de mim. A outra parte foi o seu sorriso que tomou conta de tudo. Eu flutuei… Não lembro o que eu disse, só lembro da sensação de não saber como se anda. Mas eu ainda precisava ir ao banheiro. E então deixei você esperando.

Em menos de 24 horas conheci seu quarto. Minha mãe me mataria se soubesse. Você é aleatoriedade total e eu sou louca o suficiente para fazer o que você quiser. Nada importa muito quando você coloca as mãos no meu rosto e me beija devagar como se fosse a coisa mais importante do mundo. Porque eu sinto que você está ali. Completamente para mim.

Entre o primeiro e o segundo encontro eu notei que o seu jeito marrento combina com a minha falta de paciência. Que a sua pele contrasta junto a minha me fazendo querer que exista eu e você para o mundo inteiro ver. Que a sua habilidade para se expressar é compatível com a minha incapacidade de terminar um raciocínio sem me perder de novo e de novo no seu sorriso.

Você é uma droga. Bagunçar o seu cabelo virou minha melhor distração. Tudo em você é viciante e inspirador. Inexplicável o quanto me excita te ouvir falar. Tenho sorte por não precisar pagar para admirar a sua calmaria, o modo como sorrir enquanto conta uma história e o seu talento para a música. Eu viveria sem grana.

Preciso te ver de novo. Dois encontros estão a milhas de distância de ser o suficiente e a vontade de sentir o seu cheiro já superou qualquer outra coisa. Eu tenho que te ver de novo para te fazer sorrir com as minhas cantadas inesperadas que te deixam vermelho. E te ver dançar mais uma vez. Não importa a música. Você sabe que você é uma viagem? Acho que tô viciada nisso.

Você não precisa se preocupar: o fim é inevitável. Mas prometo que será intenso e que farei você vibrar e vibrar até toda essa overdose valer a pena.